O impacto das redes sociais em sala de aula

Quem não para o que está fazendo para checar a cada minuto as redes sociais e fica aborrecido por passar horas ouvindo apenas o professor, que atire a primeira pedra!

Criadas em 2004, Orkut e Facebook podem ser consideradas as redes sociais que marcam a explosão desta forma de relacionamento no Brasil, embora não tenham sido as primeiras.

De lá pra cá, o aumento do número de mídias sociais e a popularização dos smartphones, trouxeram à tona um problema que não é novo, mas que ganhou um tempero adicional com este cenário: a falta de foco e interesse, principalmente (mas não exclusivamente!), dos estudantes.

Pesquisa publicada no periódico científico Computers in human behavior (Karpinski, 2012), conduzida com universitários norte-americanos e europeus, mostrou que o aspecto preponderante para a diminuição do desempenho acadêmico dos estudantes foi a realização de multitarefas nas mídias eletrônicas. Estes dados corroboram com pesquisas que apontam que o tempo médio de atenção humana vem diminuindo a cada ano.

À medida que smartphones entram em ação a cada instante com alertas de mensagens e ofertas imperdíveis, enquanto realizamos outra atividade – como assistir a um filme ou fazer uma lição de casa – nosso cérebro precisa monitorar diferentes estímulos e não é possível voltar instantaneamente para a tarefa que foi interrompida. Precisamos de um tempo. Apertamos a tecla << do controle remoto, relemos mais uma vez o enunciado da questão. E aumentamos ainda mais a dificuldade de concluir a tarefa.

Outro aspecto a ser considerado em relação à comunicação nas redes sociais e o impacto na nossa concentração é a redução dos tempos de propaganda e o aumento das notícias fastfood. Conforme vamos nos acostumando a “passar os olhos” em um texto e expressar opiniões com base em pílulas de notícias, criamos uma falsa competência multitarefa e alimentamos nossa impaciência por aprofundamento e densidade de conteúdo.

O resultado deste estilo de vida, já alardeado por psiquiatras e neurocientistas, é um misto de aumento dos níveis de ansiedade com prazeres efêmeros gerados pela produção de dopamina em consequência das horas gastas ao rolar um feed no Facebook ou no Instagram.

Mas voltando o nosso olhar para a sala de aula, há diferentes razões para a desmotivação dos estudantes contemporâneos e, muitas delas, não estão relacionadas à vinda dos aparelhos eletrônicos e das redes sociais. Com aulas ainda centradas no professor e conteúdos que não se aproximam das necessidades e desejos dos estudantes, perderemos esta luta!

Mas, como dar-se por vencido não combina nem um pouco com o trabalho de um educador, a cada dia buscamos novas formas de trazer a tecnologia digital e o uso das redes sociais como aliados do processo educacional. E o que tenho a testemunhar sobre isso, é que esta é uma escolha, no mínimo, inteligente.

Portanto, algumas estratégias podem ser definidas para auxiliar os professores no desafio de ajudar seus alunos a manterem o foco em suas atividades escolares e estabelecerem práticas educacionais mais inovadoras e significativas.

Promover atividades que valorizam as metodologias ativas e que coloquem os alunos para participarem mais e assistirem menos é fundamental. O protagonismo estudantil deve ser a base para aumentar o foco e o engajamento do estudante. O professor pode, por exemplo, no lugar de trazer informações sobre determinado assunto, criar um mural digital interativo colaborativo para que os próprios alunos, orientados com relação às fontes bibliográficas, criem este conteúdo.

Outra dica valiosa é a criação de vídeos que abordem ideias a serem compartilhadas ou mesmo temas específicos de algum componente curricular. Crianças e jovens de hoje em dia adoram produzir conteúdos para redes sociais. Mesmo aqueles que não gostam de aparecer na telinha, podem ser bons roteiristas ou editores de vídeos e todas estas aprendizagens são válidas.

Permitir o uso de dispositivos móveis ou até mesmo fornecer equipamentos individuais durante as aulas pode não parecer uma boa ideia à primeira vista, mas a iniciativa pode trazer mais benefícios do que problemas. Em nossas escolas, alunos que receberam chromebooks ou dispositivos semelhantes para utilização individual e diária nas aulas, demonstraram maior comprometimento, senso de responsabilidade e organização do que antes desta experiência.

Conhecer o que o aluno quer aprender e não apenas focar no que o professor deseja ensinar, é o caminho para alcançar a necessária aprendizagem significativa. Desse modo, os estudantes serão capazes de reconhecer a importância do objeto de estudo para a sua vida cotidiana.

Estabelecer regras claras e esclarecê-las aos estudantes, considerando que ainda são pessoas em formação, é uma necessidade para o sucesso destas iniciativas. Crianças e jovens ainda precisam da mediação do adulto para usar com sabedoria os dispositivos eletrônicos e aproveitar todos os benefícios de sua utilização, escapando dos riscos que estes são capazes de oferecer. 

Por fim, mas não menos importante, a parceria da família é fundamental para o estabelecimento de bons hábitos concernentes ao uso das mídias digitais. Se em casa o jantar pode acontecer enquanto cada um verifica seus dispositivos a cada minuto e se todos vão para a cama com seus celulares, não há como a escola resolver todas as questões. 

Que fique, então, a seguinte lição: as tecnologias digitais são aliadas no processo educacional, desde que façamos um bom uso delas. 

 

Lucimar Motta,
Assessora Pedagógica do Sinergia Educação

Simplifica - A nova startup do Grupo Sinergia

Ajudar os alunos que têm sofrido com a defasagem escolar é o principal objetivo do Simplifica Sim, uma plataforma de estudos que surgiu para dar um passo à frente no segmento de ensino a distância.

Trata-se de uma plataforma 100% on-line de reforço escolar voltada a alunos do 6º ano do Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio.

Ela oferece um leque de opções que não encontra semelhança com o que é praticado hoje na modalidade de ensino remoto. Aulas ao vivo, professores à disposição para tirar dúvidas, divisão de estudos por módulos de conhecimento, plano de estudos baseado na necessidade de cada aluno, correção de exercícios, testes simulados e até games! Aqui, você pode aprender jogando!

 Saiba mais sobre a plataforma educacional do grupo Sinergia Educação, acessando o site: https://simplificasim.com.br/

Live Rodas de Conversa debateu o Novo Ensino Médio

Na quarta-feira, dia 30 de junho, promovemos a terceira edição da live Rodas de Conversa – Debatendo o Futuro da Educação. O convidado da vez foi Wolney Candido de Melo, Mestre em Ensino de Física pelo Instituto de Física da USP, Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da USP e pedagogo com habilitação em Direção e Supervisão Escolar.

O bate-papo foi apresentado por Victor Müller (gerente de RH do Grupo Sinergia) e mediado pela professora Priscila Resinentti, graduada em Ciências Biológicas (UFRJ), especializada em Educação Básica pela UERJ, mestre em Educação pela PUC e doutora em Ciências Humanas – Educação (PUC).

Wolney iniciou a Rodas de Conversa apresentando números de matrículas na Educação Básica no Brasil de 2017 a 2020.
O convidado especial fez algumas pontuações a respeito da formação escolar no país. Entre elas:

  • A espinha dorsal do novo Ensino Médio é a gente parar de olhar as disciplinas de maneira isolada e olhar por área do conhecimento. Uma segunda coisa é que ele tem que permitir a estrutura curricular flexível. O Ensino Médio hoje está engessado em 13 disciplinas que, muitas vezes, não conversam uma com a outra. Em geral, quantas vezes o professor de Biologia desenvolve um trabalho com o de Física? Temos professores excelentes nas redes públicas e privadas que buscam essas parcerias, mas são iniciativas individuais – explicou Wolney durante a live.
    O Doutor em Educação pela USP também falou da importância de uma sala de aula cada vez mais antenada com o mundo contemporâneo:
  • O ENEM em papel vai acabar. E isso é bom, mas claro que tem muita coisa para se ajustar até lá. Quando tivermos na era digital, vai dar pra inserir filme, vai aumentar o número de recursos neste processo
    Priscila fez algumas pontuações, como esta a seguir:
  • As avaliações externas estão apontando que há um problema realmente sério relacionado ao Ensino Médio e a gente não pode cruzar os braços. Neste sentido, isso vai compondo um panorama que precisa culminar com uma política pública voltada para esses jovens. Eles deveriam estar na escola, acessando conhecimento não só cognitivo, mas sócioemocional, tendo uma possiblidade de formação integral.

A doutora em Ciências Humanas – Educação (PUC) também destacou a importância dessa fase da vida acadêmica:

  • O Novo Ensino Médio se configura como espaço de escolhas e decisões responsáveis, o que traz luz ao protagonismo juvenil e ao seu projeto de vida.

    Clique no link abaixo e veja a íntegra da terceira edição da live Rodas de Conversa:
    https://www.youtube.com/watch?v=zAdSuowyt3I&t=9s

Curso TDAH começa no dia 12 de julho

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade surge na infância e, em geral, acompanha a pessoa pelo resto da vida. Por isso, o curso TDAH: Conhecendo e trilhando um caminho de possibilidades tem enorme relevância.

– Esse curso conduzirá você com o objetivo de entender melhor essa disfunção, as suas causas e técnicas sobre como a pessoa que convive com crianças e/ou adolescentes que tenham este transtorno pode lidar de modo eficaz – explica Priscila Resinentti, autora e instrutora do curso, assim como a professora Danielle Fonseca.

Voltado à equipe gestora e professores de todos os segmentos, o curso tem carga horária de 10 horas via EaD, de acordo com a disponibilidade dos (as) alunos(as), e o prazo para conclusão é de 1 mês.

A inscrição, gratuita, requer uma comprovação por foto de uma ação social ou ambiental. Ex: entrega de donativos, recolhimento de recicláveis, cultivo e cuidado de plantas, voluntariado etc. 

O curso estará disponível a partir de 12/07. Para conquistar o certificado de conclusão, é preciso responder ao questionário de expectativas, assistir às aulas, ler os materiais complementares, entregar as atividades propostas e responder ao questionário de avaliação do curso.

As aulas serão ministradas via Google Classroom e as vagas são limitadas. 

Os temas do curso serão:

  • Inclusão e direitos.
  • Definição, causas e diagnósticos.
  • Lidando com crianças com TDAH.

Clique no link abaixo e garanta sua vaga:

Curso TDAH: Conhecendo e trilhando um caminho de possibilidades

Live Rodas de Conversa debate o novo Ensino Médio

Nesta quarta-feira, dia 30, vamos realizar a terceira edição de uma série de encontros virtuais – entre especialistas – para discutir o futuro da Educação. Trata-se do evento “Rodas de Conversa”, com o tema “Por dentro do novo Ensino Médio”.

Acesse o nosso canal no Youtube e participe : Sinergia Educação – YouTube.

O convidado desta edição é Wolney Candido de Melo,  Mestre em Ensino de Física pelo Instituto de Física da USP e Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da USP, e Pedagogo com habilitação em Direção e Supervisão Escolar.  Wolney atua na educação há trinta e sete anos como professor e coordenador em escolas públicas e privadas, além de cursos pré-vestibulares em São Paulo. 

Nosso convidado também é autor de material didático de Ciências da Natureza do Ensino Médio, aprovado no PNLD 2021. Como consultor e palestrante, Wolney atua nas áreas de metodologias de ensino, elaboração, coordenação e gerenciamento de processos de avaliação, construção de matriz curricular, formação de professores e preparação para vestibulares e Enem.

A mediação fica por conta da professora Priscila Resinentti, graduada em Ciências Biológicas (UFRJ), especializada em Educação Básica pela UERJ, mestre em Educação pela PUC e doutora em Ciências Humanas – Educação  (PUC). Atualmente, é pós-doutoranda no Programa de Ensino de Matemática (PEMAT/UFRJ). Nossa mediadora também é docente de Biologia e Ciências e integrante da Escola de Formação de Professores Paulo Freire.

Assim como nas duas primeiras edições, o apresentador da live será o nosso Gerente de Recursos Humanos, Victor Müller.
Participe!

Live Rodas de Conversa debate temas diversos relacionados à Educação

Desde abril, mensalmente, promovemos, em nosso canal no Youtube, um encontro de especialistas para debatermos temas relacionados ao futuro da Educação.

O lançamento da live Rodas de Conversa aconteceu no dia 28 de abril, quando foi debatida a Educação Infantil.

Confira:

Rodas de Conversa – Debatendo o futuro da Educação: O desenvolvimento infantil na pandemia

No mês seguinte, mais precisamente no dia 26 de maio, foi a vez da Década Internacional do Afrodescendente.

Confira:

Rodas de Conversa – Debatendo o futuro da Educação: Década Internacional dos Afrodescendentes.

A próxima edição acontece no dia 30 de junho. Na ocasião, o Novo Ensino Médio será o tema do debate.

Ative o lembrete: https://youtu.be/zAdSuowyt3I

Inscreva-se no nosso canal no Youtube e fique por dentro das novidades e próximas atrações do Rodas. 

 

Programa de Formação continuada de professores

Dando continuidade às nossas atividades do Programa de Formação Continuada de Professores, promovemos mais um encontro entre os docentes de Ciências da Natureza/Biologia e Geografia que atuam no Ensino Fundamental II e Médio dos colégios Colégio Franco-Brasileiro e CEL Intercultural School. A atividade foi preparada de modo que, mesmo antes de sua ocorrência, a curiosidade dos participantes já fosse aguçada pelo mistério em torno da programação do evento.

De acordo com a Assessora Pedagógica e idealizadora do encontro, professora Lucimar Soares Motta Dreyer, “a ideia que permeia essa iniciativa é trazer luz ao processo de ensinagem, de modo que não ocorra dissociação entre a ação de ensinar e a ação de aprender. Para isso, estimular os professores a desenvolver novas soluções para os desafios enfrentados em sua rotina profissional é tão importante quanto apoiá-los neste processo”.

Para o biólogo Mário Moscatelli, convidado especial e guia do passeio de Ecobalsa que aconteceu durante o evento, a sensação foi de estar em um passeio com amigos. “Tivemos uma breve conversa sobre assuntos diversificados que indicam claramente que uma das ferramentas essenciais para dar conta das ameaças que cercam a civilização é, obrigatoriamente, a educação de boa qualidade”, destaca.